Página inicial

Posts recentes

Eu santa e puta, resisto Fabi Mesquita

Poema agraciado com menção honrosa no festival de poesia de Lisboa 2020 por Fabi, feminista de fibra, carrega o mundo no coração. Jornalista e bailarina,mestre em Educação, Arte e História da Cultura, doutoranda em Antropologia, especialista em Comunicação, Direitos Humanos e Gênero, que há anos escreve para a plataforma Brasileiras pelo Mundo, que congrega mulheresContinuar lendo “Eu santa e puta, resisto Fabi Mesquita”

Saindo do meu armário: Cristã, feminista e fada

Eu sempre imaginei que fosse difícil sair do armário. Tentava me colocar no lugar dos meus amigos LGBTQIs e imaginar como deveria ser, passar por toda essa exposição e execração pública, simplesmente pela sua forma de amar. Parece que as diversas formas de amor incomodam muito mais do que as inúmeras formas de ódio, verdade?Continuar lendo “Saindo do meu armário: Cristã, feminista e fada”

Pássara

O cheiro de café invade o cômodoMistura-se ao cheiro do lençolCorpo de sereia sob a luz da lamparinabethoven: terceira sinfonia em mi bemol O seio empinado revela um frio incomodoele protege seu girassolEla até parece uma meninamas poderia ser um rouxinol 17/08/2020

Receba novos conteúdos na sua caixa de entrada.